quarta-feira, 7 de fevereiro de 2018

Brasil é segundo maior criador de rãs do mundo - Vídeo Globo Rural



O Brasil é o segundo maior criador de rãs do mundo. O primeiro é Taiwan, mas existe uma diferença: na Ásia as criações são semi-intensivas e as rãs ficam solltas, enquanto no Brasil os ranários adotam o sistema de confinamento. Apesar do segundo lugar no mundo, a produção brasileira ainda é pequena. Alguns grupos de criadores brasileiros encaram o desafio da criação de rãs, que já tem sua carne no cardápio de alguns restaurantes do país. No Rio de Janeiro, quatro tipos de pratos são servidos com a carne de rã no estilo da comida chinesa. Segundo o dono do local, Alexandre Peres, o quilo da carne de rã custa em média R$ 60: "Infelizmente, ainda é um prato para poucos". Os dados da produção de rãs ainda são imprecisos. O último levantamento oficial do IBGE de 2016 fala em 160 toneladas ao ano, mas há quem diga que esse número seja três vezes maior.

Veja abaixo a reportagem do Globo Rural sobre o mercado de rãs.

segunda-feira, 5 de fevereiro de 2018

Resumo do Livro Limnocultura: Limnologia aplicada à aquicultura - Oxigênio Dissolvido

Oxigênio dissolvido (OD) é principal parâmetro na avaliação da qualidade da água para aquicultura. O oxigênio dissolvido é essencial à respiração dos peixes e para as bactérias que decompõem a matéria orgânica presente no viveiro.

Baixe aqui o resumo do capítulo do livro Limnocultura: limnologia aplicada à aquicultura que explica toda a dinâmica do oxigênio dissolvido em um viveiro de aquicultura.

domingo, 4 de fevereiro de 2018

'Operando Nemo': Cirurgia retira tumor de casal de peixes-palhaço

Peixes, que chegam a custar R$ 3 mil cada, apresentavam excesso de massa na boca. Cirurgias duraram 15 minutos e foram consideradas de sucesso, segundo a avaliação de veterinários.


Peixe-palhaço passou por cirurgia nesta terça-feira (30) em São Paulo (SP) (Foto: Arquivo Pessoal/Divulgação)
Uma cirurgia delicada e inusitada mobilizou veterinários para corrigir o tumor na boca de um casal de peixes-palhaço, a espécie que ficou famosa no mundo todo por causa do longa de animação "Procurando Nemo", de 2003.

As cirurgias duraram 15 minutos cada e foram consideradas de sucesso, segundo os veterinários que participaram do procedimento feito em uma clínica em São Paulo, no dia 20 de janeiro. Os peixes juntos chegam a custar cerca de R$ 6 mil por ser de espécie rara de peixes-palhaço.

Um dos integrantes da equipe é o anestesista William Petroni Leal, de Sorocaba (SP). Ele explica que a anestesia foi aplicada na musculatura do peixe com o uso de uma seringa.

Já o anestésico geral local foi inserido nas brânquias do casal. No dia da cirurgia, a fêmea pesava 9,5 gramas e o macho 3,9. Ele já estava há uma semana sem se alimentar.

De acordo com o cirurgião-veterinário Alessandro Bijjeni, os dois peixinhos apresentavam excesso de uma "massa" não identificada no interior da boca.

Bijjeni suspeita que seja um odontoma, considerado um erro embrionário, que pode ser causado por bactérias, vírus ou algum tipo de trauma no local.

O cirurgião afirma que o caso não é raro, mas o anestesista afirma que este tipo de cirurgia, que custa aproximadamente R$ 1,5 mil cada, não é tão comum de ser feito na clínica. Tanto que esta foi a primeira vez que o procedimento foi feito no local.

"Às vezes, os donos até procuram alguma ajuda, mas, pela falta de profissionais que façam este tipo de cirurgia, desistem", comenta William Leal.

Segundo ele, em outros países, como nos Estados Unidos, há maior procura para esses casos, já que o mercado de animais silvestres por lá é mais amplo.

Peixe-palhaço passa por procedimento para retirada de tumor (Foto: Arquivo Pessoal/Divulgação)

A cirurgia


Durante a cirurgia, os peixes ficaram com uma sonda que levava água para dentro do organismo e os mantinham oxigenados.

Após o procedimento, o casal ficou em observação por dois dias em um "aquário-hospital", com água controlada e observação clínica. Eles devem voltar para a casa nos próximos dias. O material retirado do casal foi enviado a um laboratório para análise.

    "O tumor estava crescendo há certo tempo e eles estavam com muitas dificuldades para se alimentar”, diz o cirurgião.


O tumor impossibilitava um dos peixes de comer há uma semana (Foto: Arquivo Pessoal/Divulgação)

O casal de peixes-palhaço pertence a um criadouro particular de São José dos Campos (SP). "Levar os peixes ao veterinário é normal", afirma Luciano Tadashi, dono dos peixes. Ele diz que há um ano percebeu o crescimento do tumor.

Peixe-palhaço momentos depois da retirada do tumor (Foto: Arquivo Pessoal/Divulgação)

Espécie em perigo


Na época do lançamento de Procurando Nemo, em 2003, a procura por peixes-palhaço aumentou tanto que estudiosos afirmam que a espécie foi localmente extinta em algumas regiões do sudeste da Ásia e da Tailândia.

Depois da cirurgia, o casal está recuperado e pronto para voltar pra casa (Foto: Arquivo Pessoal/Divulgação)
Fonte: https://g1.globo.com/sp/sorocaba-jundiai/noticia/operando-nemo-cirurgia-retira-tumor-de-casal-de-peixes-palhaco.ghtmlhttps://g1.globo.com/sp/sorocaba-jundiai/noticia/operando-nemo-cirurgia-retira-tumor-de-casal-de-peixes-palhaco.ghtml

sexta-feira, 2 de fevereiro de 2018

Vídeo - Documentário Sustentabilidade dos sistemas de produção do lambari-do-rabo-amarelo

Esse documentário foi produzido durante a realização da Tese de doutorado do Pesquisador Fernando Gonçalves. O objetivo desse vídeo é a divulgação dos resultados gerados a produtores rurais, formadores de políticas públicas e comunidade científica.

Nota do blog: o lambari citado no documentário é mais conhecido no Ceará como Piaba e em ambos os casos, o nome popular não corresponde a uma única espécie e sim a um grupo de espécies semelhantes.

quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

Resumo do Livro Limnocultura: Limnologia aplicada à aquicultura - Introdução

O livro Limnocultura: Limnologia aplicada à aquicultura do Prof. Marcelo Sá, do Departamento de Engenharia de Pesca, trata de temas básicos, como oxigênio dissolvido, pH, gás carbônico, alcalinidade, dureza e amônia, com o objetivo de oferecer subsídios técnicos a estudantes, pesquisadores e produtores de peixes e camarões cultivados, para adoção de práticas produtivas ambientalmente sustentáveis.

A limnologia é a ciência que estuda as águas interiores, independentemente de suas origens (estudadas pela hidrografia). Ela é importante para um melhor aproveitamento dos cultivos, entendendo melhor o ambiente e os fundamentos para os manejos que garantam a qualidade da água.

O Blog Aquicultura no Ceará disponibilizará as anotações utilizadas na disciplina de Limnologia aplicada à aquicultura, que se baseiam no livro do Prof. Marcelo Sá.


Limnocultura - Introdução

terça-feira, 30 de janeiro de 2018

Secretaria de Aquicultura e Pesca volta para a Presidência. E daí?

Necessidades do setor pesqueiro empresarial e artesanal devem pesar menos nas definições que as votações e as eleições. Foto: Gustavo Aquino / Arquivo do Correio do Litoral

Desde segunda-feira (22), a Secretaria de Aquicultura e Pesca deixou de pertencer ao Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços e passou a ser vinculada diretamente à Presidência da República.

A decisão atende reivindicação do setor pesqueiro e de parlamentares. É mais uma mudança no órgão, criado em 2003, que já teve status de ministério (2009), foi transferido para o Ministério da Agricultura (2015) e, enfim, para o da Indústria e Comércio (2017).

A decisão foi confirmada em novembro com a publicação da Lei 13.502/2017 que estabelece a organização básica dos órgãos da Presidência da República e dos ministérios. De acordo com a lei, a Aquicultura e Pesca será uma Secretaria Especial, o que dará novamente status de ministério.

No entanto, o Decreto 9.260, publicado no início de janeiro e que passou a vigorar neste dia 22, define que o órgão ficará temporariamente sem o status de “Especial”, até que seja montada a sua estrutura.

A Secretaria da Aquicultura e Pesca mantém o mesmo quadro em Brasília e nos estados até que seja nomeado um ministro, cujo nome deve passar pelo crivo da bancada de apoio ao governo. As votações no Congresso e os interesses dos deputados e senadores podem ter mais peso na escolha que as necessidades do setor.

As páginas oficiais do governo federal não divulgaram as novidades. A Agência Brasil noticiou a aprovação da Medida Provisória 782, que se transformou na Lei 13.502, e apenas cita o processo de votação, sem maiores detalhes sobre as consequências da mudança.

Competências da futura Secretaria Especial da Aquicultura e Pesca (Seap):
1. Subsidiar a formulação da política nacional para a pesca e a aquicultura.

2. Propor diretrizes para o desenvolvimento e o fomento da produção pesqueira e aquícola.

3. Apresentar diretrizes para o desenvolvimento do plano de ação da pesca e da aquicultura.

4. Propor medidas que visem a garantir que a sustentabilidade da atividade pesqueira e aquícola.

O que não muda
O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento continua responsável pelo controle de sanidade pesqueira e aquícola.

A Seap permanece responsável pela análise de risco referente a autorizações para importações de produtos pesqueiros vivos, resfriados, congelados e derivados.

Pendências
A liberação ou não da importação de camarão é um dos temas que tira o sono do setor pesqueiro empresarial neste início de 2018.

Para o Paraná, uma reivindicação nunca atendida é a mudança do período do defeso do camarão sete-barbas que, segundo estudos, não atende a preservação da espécie e prejudica os pescadores.

Para os pescadores artesanais, as indefinições principais dizem respeito ao seguro-defeso.

Fonte: https://www.correiodolitoral.com/25118/secretaria-de-aquicultura-e-pesca-volta-para-a-presidencia-e-dai

segunda-feira, 29 de janeiro de 2018

Governo do Ceará investe R$ 6,8 milhões no setor pesqueiro

O Governo do Ceará, através da Secretaria da Agricultura, Pesca e Aquicultura (Seapa), irá investir mais de R$ 6,8 milhões no setor pesqueiro do Estado. Uma série de ações e projetos tiveram recursos liberados durante encontro entre o governador Camilo Santana, o secretário Euvaldo Bringel e o setor; e na reunião de Monitoramento de Ações e Projetos Prioritários (MAPP).

Só na aquisição e compra de material de pesca o Governo do Ceará irá investir R$ 2 milhões. Com esse valor o setor, que foi prejudicado pela estiagem no Estado, irá reequipar seus pescadores com a compra de materiais. “Essa demanda será atendida como urgência para que eles possam restabelecer suas condições de trabalho. Só temos que cumprir uma recomendação do governador de que os próprios pescadores possam construir seu material. Com isso ainda fica garantindo a geração de renda”, destacou o secretário Euvaldo Bringel.

Também será liberado o investimento de R$ 461 mil para a estruturação e informatização das 75 colônia de pescadores no Ceará. Atualmente essas colônias realizam a solicitação de cadastro dos pescadores junto à Secretaria Especial da Aquicultura e da Pesca (SEAP) manualmente. Isso fez com que se formasse um estoque de quase 30 mil fichas não cadastradas. O mesmo acontece com o preenchimento de diversos documentos nas colônias. “Hoje pescador leva cerca de dois anos para receber um certificado de que ele é pescador. Isso impacta inclusive no cumprimento de suas obrigações sociais e no recebimento de seus direitos, como o seguro defeso”, exemplificou Euvaldo Bringel. Todas as colônias contarão com equipamentos de informática e conexão de internet. A ação prevê também a capacitação dos dirigentes de colônias, que será de responsabilidade da Seapa. “A informatização dessas colônias possibilitará ainda o preenchimento de informações sobre a pesca no Ceará”, completou o gestor.

Outra demanda que receberá investimento do Governo do Ceará, por meio da Seapa, será a identificação pecadores que possam requerer junto à Caixa Econômica Federal (CEC) uma linha de financiamento para a construção da casa própria. A Seapa irá selecionar aqueles que estão aptos, realizar o registro físico do terreno, identificar o dono do terreno e por fim providenciar toda a documentação para que ele possa dá entrada no crédito “O pescador é considerado uma categoria difusa, já que a maioria deles residem próximos aos reservatórios e para a Caixa é muito complicado identificar esse público. O governador liberou recursos da ordem de R$ 640 mil, isso beneficiará muito aqueles que querem ter a sua casa própria”, comemorou Euvaldo Bringel.

Projetos que já estão sendo executados pela Seapa também receberão novo aporte financeiro, como a construção do entreposto de recebimento e acondicionamento do Atum, em Itarema, no Litoral Oeste. Na construção será investido mais de R$ 1 milhão como parte do Projeto Ceará Mares do Atum. No Programa Lagosta Viva, que visa fortalecer a captura e o beneficiamento da lagosta que deve chegar viva aos estabelecimentos de processamento, será investido R$ 653 mil. Já o Programa de Saúde nas Fazendas de Camarão (PSF do Camarão), receberá o aporte de mais R$ 270 mil.

No Programa Peixamento, que trabalha a identificação e distribuição gratuita de peixes destinados ao repovoamento dos reservatórios públicos, serão investidos R$ 450 mil neste ano de 2018. Só em 2017, através do Programa, foram distribuídos 2 milhões de alevinos de tilápia. “O governador também liberou durante a reunião do MAPP R$ 370 mil na promoção de setores da pesca e aquicultura. Essa ação é uma grande incentivo para o setor”, reforçou Euvaldo Bringel.

Outra importante ação que a Seapa desenvolve é o controle e fiscalização do pescado e seus derivados, isso garante ao consumidor qualidade na inspeção sanitária. Todas as empresas que processam, industrializam, armazenam produtos da pesca e aquicultura são visitas pelos técnicos da Secretaria para esse controle. “Esse ano serão investidos R$ 970 mil só nessa ação”, comemorou Euvaldo Bringel.

Fonte: http://www.ceara.gov.br/2018/01/24/governo-do-ceara-investe-r-68-milhoes-no-setor-pesqueiro/